BULLSHIT

Intervenção de guerrilha urbana, realizada sobre a estátua de um touro na principal praça central
de Birmingham conhecida por Bullring.

THE BULL

Mesmo no centro da praça onde convergem as principais entradas deste vasto complexo comercial, existe a estátua de um imponente touro ali presente em referência aquele local. Contudo, no meu entender e no meu ponto de vista, este touro representa única e exclusivamente a cultura do consumo massificado e desmedido ali bem presente naquele local. Assim, esta intervenção surgiu com o objectivo de marcar uma posição, assumir uma atitude crítica, e assim alertar consciências entre as pessoas que ali passam, assinalando de forma notória que por detrás daquele “Bullring” existe uma grande “Bullshit”.

THE SHIT

Este happening consistiu na colocação de um “Bullshit” hyper-realista, construído à escala da estátua por forma a sugerir este elemento como parte integrante da escultura e assim gerar a controvérsia propositada.

O Bullring situa-se no centro de Birmingham e caracteriza-se por ser uma vasta área comercial de massas onde se encontra aquele que era até à data conhecido como o maior centro comercial de Inglaterra. Este local que mais parece a “Meca do Consumo”, é formado pela interligação de vários centros comerciais que se expandem no centro da cidade. Por fim,
importa referir que o Bullring é visitado por milhares de pessoas, o que reflecte bem a forte cultura de consumo existente em Birmingham.

bullshit_happening_overview

A FASE DE CONSTRUÇÃO:

o Bullshit foi construído com base na ideia chave da intervenção for forma a dar coerência e consistência a todo o conceito deste trabalho. Assim, foquei me na ideia de construir um objecto tridimensional de grande dimensão à escala do touro, feito com lixo e todo o tipo de desperdício resultante do consumo desmedido desses centros consumo em massa.

Na construção do bullshit utilizei sacos plásticos ligados entre si para dar forma ao bullshit, tendo usado também lixo e desperdícios recolhidos dos centros comerciais do Bullring afim deste conteúdo reforçar o conceito do trabalho e assim dar volume e consistência à “shit do Bull”. Por fim, bastou dar cor num tom orgânico ao bullshit e esse foi o toque final para criar o realismo necessário na peça.

Para terminar, e breve instantes antes da partir para a acção, decidi legendar o trabalho com uma breve mensagem escrita que serviria de legenda de toda a acção no local da intervenção: Too much consumism = bullshit. Aqui apresento algumas fotos que documentam o processo de construção do bullshit:

A FASE DE INTERVENÇÃO “DA INSTALAÇÃO À ACÇÃO”

Esta acção teve início com a colocação do bullshit naquele local de forma rápida e discreta, numa tarde de domingo, dia e hora de maior afluência no local.

De seguida, afastei-me e desapareci entre as pessoas de forma sublime afim de evitar ser identificado pela segurança que controla toda a area do bullring. Apartir daquele momento, a intervenção fluiu por si de uma forma espontânea e natural. Entretanto, tive o cuidado de me disfarçar entre as pessoas já com outra roupa vestida afim de evitar ser reconhecido pelo sistema de video vigilância do local. Como todos ali presentes, limitei-me apenas a observar aquele bizarro happening.

Ao longo da tarde, aquela intervenção foi desencadeando uma série de reacções nas muitas pessoas que ali foram passando, tendo inclusivamente originado momentos e diversas interacções por parte de algumas pessoas que de uma forma espontânea e natural foram intervindo com o bullshit. Alguns desses momentos foram registados através de vários fotógrafos convidados a estarem ali presentes no local de forma anónima. Aqui fica o registo: